728x90 AdSpace

Recentes

Ads[none]

Ads[none]

terça-feira, setembro 22, 2015

O povo mais miserável da terra vive na Índia - "os Dálits"



Eles vivem em moradias miseráveis, fora dos vilarejos, como gentes excluída e desprezada. Sofrem humilhação, zombaria, rejeição, privação, estupro, tortura e por vezes morte cruel por parte dos não-dalits. Para a sociedade, os sem castas, não tinham que ter nascido, pois eles não nasceram nem dos pés do deus brama, e até tocar neles é trazer maldição a si. A discriminação de casta é proibida pela constituição, mas a cultura e tradição do País é muito importante. Existe uma estimativa de 6.400 castas.

Somente os Dálits ,podem tocar nos mortos ,e preparar a fogueira para a cremação, quem nasce nesta casta, ali morre,e são ensinados ,desde crianças,que não servem para nada,a não ser para o que foi imposto pela sociedade.

Para os intocáveis, só é permitido usar as roupas que acham nos corpos dos mortos. Nas suas casas, comem de louças quebradas. Eles sofrem restrições sociais extremas. Não podem rezar no mesmo templo, não pode beber da mesma corrente de água, porque poderiam poluí-la. Nenhum intocável pode entrar no templo se houver a presença de alguém de uma casta superior - como os sacerdotes do templo, a casta mais elevada, nunca estão fora, os intocáveis na prática são barrados de entrar em templos ou outros lugares onde se pratica religião

Estes não podem viver nas cidades, ler os livros sagrados nem se banharem no Rio Ganges. Recebem apenas os serviços considerados impuros ou imundos, geralmente associados com os mortos (humanos ou animais) ou com excrementos. Só lhes é permitido lidar com o lixo, com o esgoto, com amontoados de cadáveres e outros empregos que lhe mantém em constante contato com aquilo que o resto da sociedade indiana considera nojento e desagradável.                                                          

Mas não são apenas as suas ocupações que são consideradas como coisas nojentas e que não devem ser feitas por alguém: os próprios párias são considerados individualmente sujos, e assim não podem manter contato físico com os "limpos" nem com as partes “puras” da sociedade. Vivem isolados. Ninguém pode interferir na sua vida social, pois os intocáveis são os últimos dos últimos, considerados menos que humanos.

No "Sistema de Castas" não há compaixão, não há possibilidade de ascensão social nem melhora para o ser humano enquanto indivíduo, de espécie alguma. Não há amor ao próximo, se esse próximo pertencer a uma casta inferior ou se for um "intocável". 

Acredita-se piamente que os sofredores estejam naquela situação porque merecem aquilo. Além disso, crê-se que eles mesmos terão a oportunidade de conquistar melhores condições numa próxima vida, desde que cumpram bem o seu papel na vida presente. - Em outras palavras, se forem subservientes e aceitarem se submeter a todo tipo de humilhação e sofrimento infligido, sem soltar nenhum gemido. Se aceitarem ver suas filhas sendo estupradas e queimadas vivas. Se aceitarem tudo e se comportarem bem, como bons sacos de lixo que devem ser.

Mas o mais triste é que os próprios oprimidos, em sua grande maioria, também acreditam no sistema, e assim, no geral, preferem se submeter a tudo.


Estas vidas são importantes para Deus. Desprezadas, maltratadas pelos da sua sociedade, mas Deus deseja salvá-las, o que esta acontecendo é que nós não estamos cumprindo o Ide de Jesus Cristo, de levarmos o poder do Evangelho para essa nação e para os párias sofredores.



Quem irá? Quem aceitará o desafio de trocar as  roupas de mortos dos párias pelas "roupas da salvação". Oremos para que o Senhor da seara levante genuínos obreiros para a Índia.

Em fotos: A vida dos trabalhadores dos esgotos de Mumbai, na Índia

Gigantesca, cidade mantém cerca de 30 mil pessoas vivendo no lixo, em condições quase subumanas; todas são de casta considerada 'inferior'.



Trabalhadores descem ao 'inferno' nos esgotos de Mumbai, na Índia, para manter a superfície limpa (Foto: Sudharak Olwe)

Essas pessoas muitas vezes têm de descer às galerias de drenagem de águas – algumas são tão profundas que poderiam acomodar um ônibus de dois andares. Depois de emergir, o trabalhador pode levar horas para se 'recuperar'. O trabalho não requer habilidades especiais, apenas um par de braços e pernas e a coragem de descer o que para muitos seria o 'inferno' (Foto: Sudharak Olwe)

Todos os varredores pertencem à casta dos dalits, antes conhecidos como intocáveis. Eles coletam o lixo, varrem as ruas, limpam calhas, enchem e esvaziam caminhões e atuam nos aterros (Foto: Sudharak Olwe)


O material que esses trabalhadores removem inclui carcaças de animais, restos de comida, fios de aço, lixo hospitalar, pedaços pontiagudos de vigas de madeira, pedras, vidro quebrado e até lâminas (Foto: Sudharak Olwe)

A remoção é um trabalho árduo e as ferramentas para isso são primitivas: as mãos são usadas para levantar o lixo e os ombros, para carregá-lo. Jadhav, que atua nessa função há vários anos, não gosta de falar sobre seu trabalho. Há cicatrizes em seus ombros, provocadas pelas varas de madeira. Questionado sobre dores, ele acena com a cabeça (Foto: Sudharak Olwe)


Há quatro aterros situados nos extremos leste e oeste da cidade – todos com a capacidade já esgotada. Nenhum deles tem uma cantina ou ao menos um pequeno quarto onde os trabalhadores possam trocar de roupa ou apenas sentar para descansar durante uma pausa (Foto: Sudharak Olwe)

Um 'benefício' do trabalho é o direito a uma pequena casa, mas muitas acabam tendo de ser divididas entre duas ou mais famílias. Uma linha no chão divide o 'território' de cada uma delas (Foto: Sudharak Olwe)

A mulher de Hiraman, que se recusou a ser fotografada, está furiosa porque, segundo diz, o varredor dá a ela apenas 150 rúpias (R$ 9) mensais para manter a casa. Quando esse registro foi feito, ameaçava deixá-lo – ele a mandava se calar. Hiraman está visivelmente esgotado e é improvável que viva por muito tempo. Se morrer, ela será considerada um 'caso digno de pena' e herdará seu trabalho (Foto: Sudharak Olwe)




Fonte: Base Missionária de São Lourenço - MG
O povo mais miserável da terra vive na Índia - "os Dálits" Reviewed by Pr. Antonio Romero Filho on terça-feira, setembro 22, 2015 Rating: 5 Eles vivem em moradias miseráveis, fora dos vilarejos, como gentes excluída e desprezada. Sofrem humilhação, zombaria, rejeição...

Reações:

Nenhum comentário:

Ads[none]